Esboços

01 - Tema: o vaso escolhido

 

Texto base: Atos: 9:15

Introdução

      Saulo, sinônimo de carrasco perseguidor; porém, na verdade, um bom crente em Jeová, apenas zeloso pela lei e pelos costumes de Israel, era capaz de fazer qualquer coisa em defesa da lei de seu Deus, e da fé em um Deus vivo real e único, como era para ele, o Deus de Israel!

      Saulo, busca com as autoridades religiosas de Jerusalém, autorização para prender os crentes em Jesus Cristo, espalhados por todas as regiões de Israel e segue para Damasco.

      No caminho, encontra-se com Jesus de Nazaré, que lhe aparece em uma luz brilhando como o sol ao meio dia, e descobre que Jesus e Jeová são o mesmo Deus.

      Todavia, Saulo fica cego e vai à casa do crente Judas, na rua direita em Damasco, onde fica por três dias em jejum, até que o Espírito Santo lhe envia Ananias, o qual questionava e relutava com Deus sobre a escolha de Saulo, mas convencido pelo Espírito, vai à casa do irmão Judas e ora por ele, e Saulo volta a ver, é batizado, e começa ali o glorioso ministério de um vaso escolhido!

1)   A escolha do vaso: o comprador de vasos, (Jesus Cristo), vai á olaria buscar um vaso “e o vaso encontrado e escolhido por Ele é de barro”:

A)  Porque não, de ouro? Vaso de ouro ofusca a Glória de Deus, é encontrado pelo ladrão, e não aguenta prova de fogo (derrete).

B)  Porque não, de cristal? Vaso de cristal quando quebra não tem concerto, e é muito melindroso (não me tique, nem me toque).

C)  Porque tem que ser de barro? Vaso de barro não é valorizado, aguenta fogo, não é tão melindroso, e se quebrar tem concerto!

D)  Então, já que tem que ser de barro, porque não, um bem grande? Vaso grande é difícil de encher (demora muito, é preciso muita coisa).

 

2)   Depois de escolhido, “o vaso é comprado”:

O comprador de vasos (Jesus) pagou um preço muito alto por um vaso de barro, bem pequeno, e sem qualquer valor!

Qual a razão disso? Somente para tornar nos tão valiosos, que nem mesmo Satanás, com todos os tesouros do mundo, poderia nos comprar de volta!

 

3)   Depois de comprado, “o vaso é selado”:

O comprador de vasos (Jesus), fez questão da emissão da nota fiscal, que é a comprovação de propriedade, colocando no vaso seu selo pessoal (o Espírito Santo), como identificação de propriedade adquirida exclusiva, Ele nos tornou tesouros particularmente seu, intocáveis e inconfundíveis!

 

4)   E agora, depois de escolhido, comprado e selado; é revelado o objetivo do comprador de vasos (Jesus):

Ele te escolheu, te comprou e te selou com seu Espírito Santo, com um nobre alvo, o qual é te usar em sua obra!

 

Conclusão

 

     Ele vai te usar, e esta promessa não te deixará, por onde quer que vá; Ele não escolheu para ser vaso de enfeite de estante de sala, Ele te comprou para dar fruto; selou-te para ser luz nas trevas, para brilhar, para trabalhar em prol do crescimento do reino, e Ele promete estar contigo todos os dias, até a consumação dos séculos!

 

 

02 - tema: um obreiro do tipo, "Geazí".

 

Texto base: II Rs. 4:12 e 13.

 

Introdução

      Geazí representa uma figura negativa relacionada ao obreiro, tanto por suas atitudes, como por suas palavras; e também por seu trágico fim!

      Comparada sua figura, a figura de um obreiro, Geazí seria:

1)   Um obreiro reparador da vida alheia. II Rs. 4:14

 

2)   Um obreiro sem visão de Deus. II Rs. 4:25 a 27

 

3)   Um obreiro rejeitado. II Rs. 4:29, 30

 

4)   Um obreiro precipitado. II R s. 4:31a.

 

5)   Um obreiro desanimador. II Rs. 4:31b.

      Obs. Era caso de morte, e veja que Geazí queria resolver “na bordoada”;

     Mas, sendo em caso de morte, vejamos como o homem de Deus resolveu!

      II Rs. 4:33 a 35.

     A) Fechou a porta (é assunto interno; não espalhe como está a situação).

     B) Ore (nesses casos só resolve com muita oração; ore com a igreja).

     C) Boca á boca (procure falar a mesma língua; compreensão e acordo).

     D) olho no olho (procure ter a mesma visão; olhar com os olhos do povo).

     E) Mãos nas mãos (deem as mãos; é preciso ajudar; dar uma oportunidade).

     Fazendo todo esse processo uma vez, esquenta; e repetindo ressuscita.

     Obs.: não fala nada sobre os pés (isso indica que não se deve andar no mesmo caminho do defunto).

6)   Um obreiro irresponsável. II Rs. 4:38 a 41.

 

7)   Um obreiro mal agradecido e incrédulo. II Rs. 4:42 a 44.

 

8)   Um obreiro que faz a obra com interesses financeiros. II Rs. 5:20.

 

9)   Um obreiro mentiroso. II Rs. 5:21 a 25.

     Obs. Mas ao homem de Deus é revelada a verdade. II Rs. 5:26.

Conclusão

     O fim de um obreiro do tipo Geazí. II Rs. 5:27.

     Não seja um Geazí de Elizeu; mas sim, seja um Elizeu de Elias.

     Geazí pediu dinheiro, e terminou leproso.

     Elizeu pediu virtude, e fez milagres até depois de morto.

     Que Deus nos guarde de sermos comparados a um obreiro do tipo Geazí.

 

 

03 - Tema: as sete maravilhas do mundo dos homens, E as sete maravilhas do Evangelho de Cristo!

     

Texto base: Atos 2:43.

Introdução

      O mundo se encanta com suas sete obras maravilhosas aos olhos humanos! Porém, nada mais podem fazer, além de admirá-las!

      Destacam-se as sete maravilhas do mundo; tais como são:

1-   Muralha da China (China).

2-   Petra (Jordânia).

3-   Cristo Redentor (Rio de Janeiro).

4-   Machu Picchu (Cuzco, Peru).

5-   Chichén Itzá (Yucatán, México).

6-   Coliseu (Roma- Itália)

7-   Taj Mahal (Agra - Índia).

    Entretanto, o Santo Evangelho do Senhor Jesus Cristo, permite ao homem, desfrutar de maiores maravilhas, que todas as riquezas do mundo jamais poderão superar, ou comprar!

     Um exemplo disso é:

    1) O cego vendo, o surdo ouvindo, o mudo falando e o paralítico andando: Jo. 9:32; Mc. 7:37; Lc. 5:24.

 

2) o morto voltando a vida: Jo. 12:17.

 

     3) O homem expulsando demônios: Lc. 10:17.

     4) O culpado pecador sendo perdoado por graça: Atos 15:11.

     5) O homem velho sendo regenerado e transformado: II Cr. 5:17.

     6) O homem na terra sendo revestido do poder do Espírito Santo: Lc 24:49.

     7) O homem sendo arrebatado ao céu para viver para sempre: I Ts. 4:17.

Conclusão

      O evangelho do Senhor Jesus Cristo é poderoso, verdadeiro e real! E estas maravilhas ainda estão à disposição da igreja!

 

 

04 - Tema: as três fases de uma mulher no deserto.

 

Texto base: Oséias 13:5.

Introdução:

Deserto com Deus... uma mulher no deserto vive 3 fases:

     1) Agar = chora, (a fases das lágrimas). Gênesis 21:16-19

     2) Miriã = canta, (a fase das alegrias). Êxodo 15:20-21

     3) Noiva - a igreja = sobe, (a fase das recompensas). Cantares 3:6

Conclusão

      - Vamos atravessando o deserto chorando, ou cantando; mas é certo que, daqui a pouco, subiremos...

 


05 - Tema: o desafio a ser vencido.

 

Texto base: II Pedro 2:1-3.

Introdução:

Aqui estão dez perigos eminentes que cercam a igreja de nossos dias; precisamos vigiar intensamente.

1) Haverá entre vós;

2) Falsos doutores;

3) Introduzirão;

4) Encobertamente;

5) Heresias de perdição;

6) Negarão o Senhor;

7) Sobre si mesmo, repentina perdição;

8) Muitos seguirão;

9) Dissoluções;

10) Blasfemando o caminho da verdade.


2) Qual a razão de tudo isso? = avareza

3) Qual o alvo desses falsos doutores? = negócio

4) Como tentarão conseguir isso? = com palavras fingidas.

"Conclusão"

- O resultado para os enganadores é a sentença de perdição.

 

06 - Tema: Quatro homens que Deus procura.

 

Texto base: Isaías 6:1-8

Introdução:

Deus está literalmente à procura de pessoas para trabalhar na sua seara; e Ele garante que paga bem; disse que dará a cada um segundo a sua obra; e com justiça; é claro!

1) Homens cheios do Espírito de Deus - Gn. 41:38

2) Homens chamados de “tapa-brecha” – Ez. 22:30

3) Homens fiéis – Sl. 101:6

4) Homens que sejam verdadeiros adoradores – S. Jo. 4:23

"Conclusão"

- Deus te procurou e te encontrou; mas, mesmo com sua onisciência, Ele continua te procurando, pois Ele quer te encontrar no estado de verdadeiro adorador.

Diga a Ele: eis-me aqui, envia-me a mim!

- O objetivo da procura: Ele quer te encher para te usar.

 

07 - Tema: A razão da vinda do Espírito Santo.

 

Texto base: I Samuel 10:6-7; S. João 15:16

Introdução:

O calvário e o Espírito; o calvário parecia dispensar a vinda do Espírito Santo!

Quando Jesus disse lá no calvário está consumado, Ele estava dizendo em outras palavras que não restava mais nada a ser feito; então, qual a razão para enviar o espírito santo?

O calvário nos santifica para a entrada no Céu; e o Espírito veio para quê?

1) Defender a igreja

2) Transformar o homem pecador em um homem de Deus: I Samuel 10:6; Atos 10.

3) Capacitar a igreja para sua grande missão: Lucas 10:19; Atos 1:8

"Conclusão"

- Poder que protege – defender

- Poder que regenera – transformar

- Poder que habilita – capacitar

- Recebereis a virtude do Espírito Santo Atos 1:8.

- A vontade de Deus revelada: Lucas 11:13

 

- Atos 2:4; (dividindo o versículo em 3 partes; 2 são ações Divinas, e uma é nossa).

 

- Deus quer fazer o quanto antes; o tempo é chegado: Hebreus 3:13.

- Oração em busca do Espírito Santo...

 

 

08 - tema: Descer para Encher, Encher para Subir.

 

Texto básico: Gênesis 24:16b

Introdução:

Abraão, (representa Deus; o pai), Eliezer, (representa o Espirito Santo; amigo do noivo), Isaque, (representa Jesus; o filho), Rebeca, (representa a igreja).

Quem quer subir tem que descer, pois para subir tem que encher, e para encher tem que descer!


Deus só envia cheios: I Samuel 16:1.

A responsabilidade de se encher é sua: Efésios 5:18.

A fonte é Jesus: S. João 7:37; Apocalipse 21:6; Apocalipse 22:17; Zacarias 13:1 (o Espírito Santo).

"Conclusão"

Enquanto houver vaso, haverá azeite... II Reis 4:1-6

 

 

 

09 - Tema: O Sinai, e o Calvário.

 

Texto base: Hebreus 12:18-25

Introdução:

Dois montes e duas grandes revelações de Deus. Êxodo 19:18; S. João 19:17

Através do Sinai, Deus revelou: Moisés

Através do Calvário Deus revelou: Jesus

Do Sinai: vem a lei - Do calvário: vem a graça

Do Sinai: vem a pena - Do calvário: vem o perdão

No Sinai: o acesso a Glória é negado

No Calvário: o acesso a Glória é permitido

No Sinai: a glória mata - No Calvário: a glória dá vida

No Sinai: a revelação da Santidade e da severidade de Deus

No Calvário: a revelação do amor e da bondade de Deus

O Sinai: criou servos - O Calvário: criou filhos

Sinai: sinônimo de sucesso garantido na terra

Calvário: garantia de arrebatamento

Sinai: símbolo da vida terrena - Calvário: símbolo da vida eterna

Sinai: nos prendeu - Calvário: nos libertou.

 

“Conclusão”

Está consumado! S. João 19:30

 

 

 

 

10 - Tema: Eu Dei-lhe a Glória!

 

Texto base: S. João 17:22; Isaias 42:8.

Introdução:

Guarda o que tens: cuidado com o “Zé ninguém!” Apocalipse: 3:11.

 

A glória que Ele nos deu está na igreja representada de 3 formas específicas.

1) A alegria, o gozo, a comunhão, o fogo que arde em nós, e que nos faz adorar (o grito de glória).

2) O poder de operar milagres, a virtude de realizar, de fazer acontecer, de ordenar e ver as coisas nos obedecerem. (A autoridade), (e a virtude), (os demônios se submetem: os discípulos alegres).

3) A genuína e verdadeira esperança do arrebatamento, a certeza de subir ele, a santificação e separação do mundo que nos faz ter a certeza de que ouviremos o toque da trombeta nos chamando.

"Conclusão"

Não somos miseráveis! (I Coríntios 15:19).

Não vamos perder a glória! (Icabô: foi-se a glória I Samuel 4:21-22).

É hora de resgatar a presença do fogo ardente, o poder de realizar, e a esperança convicta! (Guarde bem), oremos.

 

11 - Tema: Israel e a igreja; e suas respectivas missões.

 

Texto base: Isaías 5:1-2; S. João 15:16

Introdução: Israel x igreja; uvas bravas... S. Mateus 7:19

* O amado =  Deus.
* A vinha = israel.
* O outeiro = o mundo (fértil: necessitado).
* A cerca = o arcanjo Miguel (guardião de Israel).
* As pedras = os ídolos, e os maus costumes das nações.
* A semente = a lei, e os milagres.
* A torre = o profeta (a sentinela; o porta voz que avisa).
* O  lagar = o plano de Deus para as nações através de Israel.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* O  amado =  Jesus
* A vinha = a igreja
* O outeiro = o mundo (fértil: condenado)
* A cerca = o Sangue de Jesus
* As pedras = os pecados; os desejos mundanos.
* A semente = a palavra e os dons espirituais.
* A torre = o próprio Espírito Santo.
* O  lagar = o plano de Deus para a humanidade através da igreja.

"Conclusão"

Vamos produzir frutos bons, para sermos limpos, e produzirmos mais. S. João 15:2.

 

12 - Tema: O tesouro, o vaso, e a glória.

 

Texto base: II Cor. 4:7

 

Introdução: capacitados para trabalhar...

1) O tesouro: o próprio Espírito Santo
2) A convicção do que se tem
3) O vaso é de barro
4) A glória é de Deus.


"conclusão"


Use o tesouro do vaso e glorifique ao Deus do tesouro; Ele é fiel, e paga bem aos trabalhadores.

 

 

 

 

13 - Tema: guarde bem o que tens; Jesus está chegando

 

 

Texto base: Ef. 4:8; e Apocalipse. 3:11.


Introdução:

Deus deu dons aos homens; (deu presentes, dádivas, atributos).

1) O Céu: (a salvação; não queira perder o céu...)
2) O Espírito: (o poder; não extingais o Espírito...)
3) A Cura: (saúde; pra que pagar, se Jesus cura de graça!?).


"Conclusão"


Oração por cura divina, batismo com o Espírito Santo, e o apelo.

 

 

 

 

14 - Tema: Um bom Soldado de Cristo

 

 

Texto base: II Timóteo 2:3.


Introdução:

Sofre pois comigo, como bom soldado de Jesus Cristo.

 

Um soldado tem:

 

1)   Um exército com você: não tem novo, nem velho, nem reserva. (São mais os que te defendem do que os que te atacam! II Reis 6:16).

2) Um general como guia: que não perde (você não está sem direção; sabe qual é o alvo)

3) Uma armadura que te protege: feita sob medida pra você, e ungida.

4) Uma guerra pra vencer: uma guerra é composta de batalhas.


5) Uma pátria: até voltar pra casa! (A esperança de voltar ao céu!).

 

"Conclusão"


Ele vem; lute e vença; pois, só voltam pra casa os vencedores.

 


15 - Tema: O grito de uma alma.

 

Texto base: Jonas 1:1-17


Introdução:

A ordem divina e a desobediência do profeta. Vers. 2 e 3.
O ide de Jesus e o comodismo dos crentes: Marcos 16:15; S. João 15:16; Romanos 10:14

* O profeta dormindo; ver. 5.


* As almas gritando; ver. 6, 8, 10 e 11.


* A confissão do profeta; ver. 9.


* A atitude, a coragem, e o amor do profeta; ver. 12.


* Oração, conversão e milagre no navio. Ver. 14, 15 e 16.

 

"Conclusão"


A providência e o cuidado de Deus; vers. 17; cap. 2:10.


 

16 - Tema: o fruto do Espírito.

 

 

Texto base: Gálatas 5:22; Eclesiastes 9:8.

 


Introdução:
Na visão atual da maioria.


* Os frutos de um crente consiste no seu serviço à igreja.

* Os frutos de um obreiro da igreja consiste no crescimento e  desenvolvimento da congregação.

* Os frutos de um cantor consiste na reação positiva do povo ao ouvi-lo.

* Os frutos de um pastor consiste na boa e próspera administração do campo sob seus cuidados.

* Os frutos de um pregador consiste no número de almas que aceitam a Cristo, no número de crentes que são batizados com Espírito Santo, e nos milagres que acontecem durante sua ministração.

- Mas, no contexto bíblico, o fruto do Espírito é:

 

Caráter, ações, qualidades, e testemunho: S. Mateus 7:21-23.

 

"Conclusão"

Não despreze a unção na cabeça... 
Mas lute com todas as forças pelas vestes brancas.

17 - Tema: Quem dizeis vós que eu sou?

 

Texto base: Mateus 16:13-16.

Introdução:

Quem era ele? E porque tal preocupação?

Qual sua missão? Ele precisava saber, como homem, se estava atingindo o alvo!

 

1) O que Ele representava para os judeus:

A) João Batista = a mensagem com autoridade.
B) Elias = poder de realizar sinais.
C) Jeremias = amor e misericórdia.
D) Um profeta = verdade e respeito.

2) O que Ele representava para os discípulos:

Tu és o Cristo, o filho de Deus Vivo!

3) – O que Ele representava para o mundo.

Filosofia, história, mito, um revolucionário, etc.

4) o que Ele representava para nós.

Realidade, Salvação, Vida Eterna, Graça, etc.

"Conclusão"

Jesus é a razão da existência, e da esperança maior da igreja. Ele salva, cura, liberta, transforma, batiza com Espírito Santo e voltará. Aleluia!



18 - Tema: As bênçãos do Senhor.

 

Texto base: Gênesis 48:11-20

Introdução:

3 tipos de bênçãos: gerais, individuais e específicas.


1) Gerais: chuva, sol, sono e respiração.

2) Individuais: paz, perdão, batismo com o Espírito Santo, Salvação e alegria.

3) Específicas: chamada, talento, dom, capacidade, promessa e escolha.

“Conclusão”

Toda humanidade desfruta da bênção de Deus!

O crente, porém, goza de uma benção maior!

E há escolhidos que são separados para uma intimidade perfeita com Deus!

 


19 - Tema: A palavra da cruz.

 

Texto base: I Coríntios 1:18-29

Introdução:

A palavra da cruz não é milagre, nem ciência, ou conhecimento humano; a palavra da cruz, é loucura e fraqueza aos olhos dos homens; pois trata-se de Jesus Cristo, e este, crucificado; é a verdadeira revelação do poder de Deus, e da sabedoria de Deus; enfim, a palavra da cruz, é o genuíno evangelho do Senhor Jesus Cristo. Revelando a graça de Deus ao homem.

1) Tanta letra e pouca vida! = não basta saber, é necessário se arrepender e suplicar o perdão de Deus, por Jesus Cristo.

2) A lei = não conseguiu revelar aos homens a sabedoria de Deus;

A salvação da humanidade ficou a cargo da loucura do calvário.

3) Três classes de pessoas na igreja:

     Os judeus, (sinais).

     Os gregos, (ciências).

     Os salvos, (calvário).

5)   Loucuras de Deus = o cajado de Moisés, Davi x gigante, peixe com dinheiro na boca, etc.

5) Fraquezas de Deus = sopro das narinas de Deus, buzina em Jericó, os 5 pães do menino...

"Conclusão"


- Para a Glória de Deus: Ele fez, Ele usa, Ele quer a glória!

 

20 - Tema: Altar em chamas:

 

Texto base: Lv. 6:13.

Introdução: Os três altares, onde a chama não pode se apagar.

O altar do templo físico, onde se reúne a igreja (o púlpito).

A igreja reunida sempre está olhando para o púlpito, se o púlpito for apagado, toda a igreja estará apagada!

O altar da igreja como corpo espiritual (os obreiros).

Os membros da igreja sempre procuram se espelhar em seus obreiros, se os obreiros forem frios, quão densa será a frieza dessa igreja!

O altar de cada crente individualmente, como templo de Deus (o coração).

O crente reflete o que está no coração, se não houver alguma chama acesa no coração, o que teria tal crente a transmitir com fervor?!

Diz um conhecido adágio popular e ministerial: “onde há fumaça, há fogo”; então, certamente identificamos um altar em chamas pela fumaça que aparece.

Portanto, se o coração pegar fogo, deixe a fumaça sair pelos olhos, (lágrimas que rolam no rosto), e pela boca (gritos de glória a Deus e Aleluia).

Vamos falar de algumas chamas que precisam estar acesas no coração do crente; e que não podem se apagar...

  • 1) A chama do Espírito (as manifestação dos dons espirituais e o gozo pela presença do Espírito Santo na vida).
  • 2) A chama da esperança de vitória (a resistência e a persistência do crente, ante os mais ferrenhos desafios da vida cristã).
  • 3) A chama da oração (a busca incessante e intensa por unção e poder do Espírito de Deus no homem interior)
  • 4) A chama da palavra (a fome inexplicável por conhecimento de Deus e a ocupação contínua na pregação do Evangelho de Cristo).
  • 5) A chama da santificação (o aborrecer o mundo e o pecado, e o preparo sucessivo para o glorioso dia do arrebatamento).
  • 6) A chama da fé (a certeza viva e a convicção plena para realizar e alcançar milagres e maravilhas pelo Senhor Jesus Cristo).
  • 7) A chama missionária (o sentimento mais puro de amor pelos perdidos, a ponto de se dar ao trabalho e de contribuir financeiramente para o resgate dos perdidos, e ainda, a capacidade de perdoar o mais indigno pecador degenerado, concedendo-lhe o direito a Salvação Eterna).
  • 8) A chama da gratidão (a adoração verdadeira, em alto e bom som, com todo o coração, com a alma, com todo o entendimento e com todas as forças; sem reservas e sem timidez alguma).

“Conclusão”

Deixe que se acendam chamas em seu coração!

 

 

21 – Tema: Três palavras de esperança para um desesperado; (e três atitudes sábias).

 

Texto base: São Marcos 10:46 a 52.

Introdução: Desesperado por quê? (Aquele cego não tinha a menor esperança de um dia enxergar).

Pois, com certeza, ele já tinha ouvido falar por várias vezes, que o Deus de seus pais, já havia feito os mais distintos e maravilhosos sinais em Israel.

Porém, jamais se ouvira falar em sua nação, que algum profeta, em nome do Deus de Israel, houvesse aberto os olhos a um cego de nascença!

Portanto, o que aquele pobre cego esperava mesmo, era uma boa esmola, por parte daquele importante e famoso profeta que por ali passava naquela hora.

Bom, mas o fato é que quando mendigava a beira do caminho, na saída da cidade de Jericó, o cego ouviu o barulho de uma grande multidão, que, em euforia, passava por ali.

E informado de que estavam seguindo a Jesus de Nazaré (o profeta dos milagres) em seu desespero, começou a clamar.

Aí temos a primeira palavra de esperança, e a primeira atitude daquele desesperado.

1)   A primeira palavra de esperança está no versículo 47, a qual foi: cego, Jesus está passando aqui (o homem dos milagres está aqui).

E a primeira atitude tomada pelo cego foi: clamar.

(Quanto mais negativismo, o grito era mais alto).

2)   A segunda palavra de esperança está no versículo 49, a qual foi: cego, Jesus te chama (o homem dos milagres te chama).

E a segunda atitude tomada foi: mostrar a obra da sua fé (se livrou da capa).

(Desprezou a capa, levantou-se, e foi ter com Jesus; observação importante: a capa lhe servia para pedir esmolas).

3)   A terceira palavra de esperança está no versículo 51, a qual foi: cego, Jesus te pergunta: que queres que te faça? (O homem dos milagres pergunta o que queres).

E a terceira atitude tomada foi: pedir o impossível (ele mudou o pedido).

(Como não lhe foi imposto limites nem especificações do que pedir, ele aproveitou a oportunidade, mudou seu projeto, e pediu a coisa certa).

“Conclusão”

Quem pede clamando, mostrando fé, e aproveitando o momento certo; sem dúvida alguma recebe a bênção dobrada.

O cego só pediu visão: mas recebeu a visão e a salvação.

Salomão só pediu sabedoria: mas recebeu sabedoria e muita riqueza.

Elizeu pediu o dobro da virtude que estava sobre Elias: e de fato recebeu o dobro.

 

 

22 – Tema: Jesus curou e faz milagres:

 

Texto base: Isaías 53:4, 5.

 

Introdução: Se Jesus cura, e certo é que cura; porque há tantos doentes na igreja?

 

Vejamos as duas interpretações teológicas seguintes:

Sabemos existem alguns mestres que preferem defender, ainda que sem tanta fidelidade a exegese do texto sagrado, que a escritura do profeta Isaías, registrada no capítulo 53 e versículos 4, e 5 de seu livro profético, trata de uma só coisa; (apenas dos pecados dos homens);

Mas se partirmos do princípio de que o texto de Isaías 53:4, e 5 trata de duas coisas distintas (doenças e pecados) e não de uma só; encontramos então, que assim como já foram perdoados os nossos pecados, já fomos também curados de nossas doenças e enfermidades!

 

A pergunta agora é: se já fui curado, porque a doença persiste em mim?

Daqui para frente, vamos procurar entender algumas razões que expliquem este fato; e descobrir alguns caminhos para vivermos essa verdade que afirma com tanta precisão: “já fomos curados”.

Há pessoas que acreditam não ter sido curadas ainda, por não ter chegado o tempo propriamente de receberem tal benção.

Há porém outras, que preferem acreditar que não é a vontade de Deus que sejam curados.

E há ainda aqueles que se conforma com a doença, e dizem: é minha cruz! É meu espinho na carne! Ou, não sou digno de ser curado! Ou ainda, não tenho fé!

Mas será que tudo isso é a mais pura expressão da verdade? Claro que não! E jamais poderia ser!

Eis a seguir algumas controvérsias.

Em Isaías 53:4, 5, encontramos os três fundamentos da cura divina:

1)   O primeiro fundamento da cura divina é o conhecimento: (da palavra, do poder, e da vontade de Deus) Oséias 6:3a.

Jesus cura quando o homem conhece a sua palavra; Oséias 4:6;

O seu poder; Mt.8:1-3;

E principalmente a sua vontade; Rm. 12:2; Ef. 5:17; Mt. 13:14-15.

2)   O segundo fundamento da cura divina é a misericórdia: (manifestação do amor e da Graça de Deus) Mateus 14:14.

Jesus Cura Por Pura Misericórdia; Luc. 7:12-15; Rom. 8:32

3)   E O Terceiro Fundamento Da Cura Divina É A Fé: (Na Ação, E Na Palavra De Deus) Hebreus 11:6.

Jesus Cura, Quando Alguém Acredita Que Ele Vai Curar! ... Mac. 9:23; 11:23; Mat. 17:20; S. Jo. 11:40.

“Conclusão”

Uma vez conhecendo a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus, confiemos na sua maravilhosa Graça que é a autêntica revelação da sua eterna misericórdia, e acreditemos firmemente no milagre, e assim, plenamente convictos da ação divina, oremos ao Eterno e todo-poderoso Deus, pedindo o que quer que necessitemos, e Ele prontamente nos dará milagres hoje!


23 – Tema: A grande Salvação de Deus!

 

Texto base: S. Jo. 3:16.

Introdução: A excelente revelação da misericórdia de Deus!

O propósito de Deus: o homem, feito a imagem e semelhança de Deus, puro e inocente, para um propósito específico; viver eternamente!

Não guardando o único mandamento divino, desobedeceu e caiu em pecado; separando-se de Deus, e de sua própria eternidade!

E Deus, por sua tão grande misericórdia e pré-ciência, fazendo uma promessa de levantar da semente da mulher um varão, para esmagar a cabeça de satanás, começou a pôr em ação seu infalível plano alternativo, um Plano de Salvação Eterna, para a humanidade condenada à morte!

1) O que é a Salvação de Deus? S. Jo. 10:10.

A salvação é um grande e maravilhoso pacote completo enviado por Deus, para suprir todas as necessidades dos homens! E não somente o perdão dos pecados da humanidade, o que sem dúvida alguma, é parte integrante e indispensável, desse pacote especial, que é a Salvação Eterna de Deus para com os homens!

Vamos abrir o presente de Deus e conhecer quais itens constam no pacote:

A)  Perdão: Ef. 2:8, 9; Rm. 5:1, 6-10; 8:1, 2, 33,34; I  Jo. 1:7.

B)  Saúde... Atos 9:34; Mt. 8:7; Atos 3:16; lll Jo. 1:2.

C)  Poder... Lc. 24:49; Ef. 3:16; Atos 1:8; 2:7, 8.

D)  Bens... Mt. 14:16, 19; ll Cr. 9:11; Fl. 4:19. Mt. 6:30-33

E)  Vida eterna... S. Jo. 5:24; 6:40; 6:63; 8:51; I Ts. 4:16, 17; I Cr. 15:51-57.

2) Para quem é a Salvação de Deus?

     S. Jo. 3:16, 18; Lc. 14:15-23.

3) O que fazer para ser salvo?

S. Jo. 8:32-36; Rm. 10:9, 10; I Cr. 1:21.

 

“Conclusão”

Um rápido testemunho pessoal, e o apelo.

 

 

 

24 – Tema: A sétima semente!

 

Texto base: Lv. 25: 3 - 5, e 20 - 22.

 

Introdução:  A fé, e a obediência, trazem a bênção da multiplicação.

O texto diz no versículo três: “seis anos semearás, e seis anos colherás.”

E no versículo quatro diz: no sétimo ano não semearás, nem colherás para ti; pois a sétima semente é um sábado ao Senhor (ou seja, é do Senhor).

No versículo cinco o Senhor afirma que o sétimo ano seria ano de descanso para a terra, e certo é que o Senhor não estava preocupado tão somente com esse torrão que pisamos; basta lembrar que da terra o homem foi tirado! (E entendemos então que o descanso é para nós).

Porém no versículo 20, Deus já faz menção preventiva de uma bem provável pergunta que seu povo com certeza lhe faria: que comeremos?

E no versículo 21 Ele mesmo adianta a resposta: mandarei a minha bênção sobre vós; no sexto ano; para que dê fruto por três anos.

No versículo 22 o Senhor explica o seu plano de descanso para o povo: e no oitavo ano semeareis. E comereis da quinta semente até o ano nono, até que venha a colheita da oitava semente comereis da quinta semente.

1)   Vamos analisar isto, para entendermos o plano de Deus proposto ao povo:

Veja-se o seguinte; se não houvesse obediência entre o povo a esta regra, por não acreditarem nessa palavra do Senhor, certamente o povo trabalharia e se sustentaria; como todas as nações da terra, sobrevivendo do suor do seu rosto; como no princípio ordenou o Senhor a Adão a regra básica da vida para toda a humanidade!

Porém, se o povo acreditasse na palavra dita pelo Senhor, e resolvesse obedecer na integra a regra determinada por Ele, a situação da vida passaria a ser a seguinte:

A semente que fosse semeada no segundo semestre do ano quinto seria milagrosamente abençoada por Deus, de tal forma, que a colheita que seria feita no primeiro semestre do ano sexto seria três vezes maior que qualquer colheita normal.

Ou seja, com a bênção do Senhor sobre a quinta semente, alcançada através da fé e da obediência a sua palavra, a semente plantada no ano quinto supriria todas as necessidades do povo durante três anos! (Sendo, portanto, de janeiro do ano sexto a janeiro do ano nono).

2)   Acima das nossas necessidades está a vontade de Deus; e certo é que a vontade de Deus supre todas as nossas necessidades!

Assim se entende a obra da fé, na prática da obediência!

Concluímos com isto que a quinta semente, é grandemente abençoada por Deus, quando existe a obediência ao mandamento de entregar ao Senhor a sétima semente, entretanto, os resultados não aparecem antes da prática da obediência, quando há apenas a intenção de obedecer; mas sim, depois da prática da obediência.

Portanto, devemos nos adiantar, e praticarmos antecipadamente nosso ato de fé e obediência à palavra do Senhor, lhe entregando o quanto antes a sétima semente.

3)   O erro e a tragédia de muita gente é o que se segue!

Pois dizem a Deus: se me deres Senhor, te darei.

Como se Deus dependesse do homem!

Não! Isso não funciona assim!

Com Deus isso não dá certo!

Ele não admite pressão; nem tão pouco precisa do nosso dinheiro!

Somos nós que precisamos dele!

4)   Portanto, com Deus, só funciona ao contrário disso:

Um exemplo é: Senhor, te darei; não como que para conquistar algum direito de ser atendido por ti, mas sim, para que, na prática da minha obediência, e na qualidade de ser humano dependente da tua graça, e ainda, como servo confiante no teu amor, no teu poder, e na tua plena fidelidade; possa eu, estando coberto e protegido pela tua palavra, ser então, graciosamente abençoado pelo Senhor!

“Conclusão”

Por tudo isto, digo, que o texto quer deixar claro, que a sétima semente é uma oferta ao Senhor; e certamente isso não se trata do dízimo; pois o dizimo, todos nós sabemos que são 10% de nossa renda, (ou seja, a décima parte, e não a sétima parte); a sétima semente refere-se exclusivamente ao número sete.

Portanto, com certeza, o texto fala de uma oferta de fé, confiança e obediência à palavra do Senhor; restritamente relacionada com o número sete!

Observe na bíblia a importância que Deus dá ao número sete!

Entre Gêneses 4:15 e Apocalipse 21:9 existem 545 versículos que mencionam o número sete, e na maioria desses versículos, o número sete se repete algumas vezes, chegando a soma total de 777 menções ao número sete em toda a Bíblia.

 

(Segue uma observação importante!)

A ideia é a seguinte:

Proponho uma oferta ao Senhor; que pode ser a sétima parte de sua renda mensal, ou a sétima parte de algum valor definido, ou ainda, a soma de sete vezes qualquer número.

Desde que o propósito de ofertar envolva o número sete, sua oferta representará a sétima semente.

E essa oferta será para você uma grande experiência; você estará dando, com isto, uma oportunidade a fé e a obediência; e, com certeza, logo verá os surpreendentes resultados!

 

 

25 – Tema: O caráter de Cristo na vida do jovem!

 

Texto base: II Cr. 5:17; Gal. 2:20.

 

Introdução: Quando falamos de caráter, falamos de qualificações que influenciam na personalidade.

Há quem acredite que a personalidade de alguém não pode ser alterada, mas que o caráter pode ser trabalhado.

Eu, porém afirmo com toda segurança; e firmemente baseado nas sagradas escrituras; que o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, não apenas molda o caráter do homem, mais também trabalha a personalidade do ser humano.

Algumas qualificações, e a personalidade do homem Jesus, que devem ser imitadas:

1)   Qualificações: doze qualidades do homem Jesus:

Perdoador: Lc. 7:47; Cl. 3:13.

Amoroso: S. Jo. 15:9; Ef. 5:2.

Bondoso: S. Jo. 7:12; ll Tm. 2:3

Misericordioso: Hb. 2:17; Lc. 6:36.

Paciente: Rom. 2:4; ll Is. 1:4.

Verdadeiro: Mt. 22:16; Ef. 4:25.

Fiel:  I Ts. 5:24; Sl. 101:6.

Justo: I Jo. 2:29; I Jo. 3:7.

Santo: Hb. 7:26;  I Pd. 1:15.

Humilde: Mt. 21:5; Mt. 18:4.

Manso: Mt. 11:29; Tig. 3:13

Sábio: Rm. 16:27; Dn. 12:3.

2)   Personalidade: as três personalidades de Deus:

Deus é trino, ou seja, a bíblia o apresenta com três personalidades distintas:

A pessoa do Pai = justo e juiz.

A pessoa do Filho = perdoador e intercessor.

A pessoa do Espírito Santo = sensível e sentimental.

Cada uma com suas características específicas!

E tratando-se da personalidade de Cristo, destacam-se as capacidades de perdoar, e suportar os mais fracos.

E este é o exemplo de Cristo, que o cristão verdadeiro deve procurar imitar;

Ou seja, o cristão deve ser perdoador, misericordioso, compassivo, piedoso, benigno, pacificador, paciente e longânimo, que são características da pessoa de Cristo.

Conclusão:

O jovem que heroicamente conseguir absorver tais qualificações, e permitir que o Evangelho do Senhor Jesus Cristo molde sua personalidade, a ponto de o caráter de Cristo ser identificado claramente em sua vida, poderá dizer com convicção, sem medo de estar errado, que é um autêntico cristão verdadeiro!

 

 

26 – Tema: quando Deus põe uma vírgula:

 

Texto base: Sl. 30:5.

 

Introdução: Analisando a primeira frase deste versículo, (porque a sua ira dura só um momento), encontro a palavra “momento”; o que me leva a refletir que Deus é eterno! O tempo pra Ele não passa, é sempre parado! (Comentar o que representa “um momento” para Deus).

Mas, quando olhamos para a segunda frase, (no seu favor está a vida), encontramos a palavra “vida”; o que nos leva a pensar na vida eterna de Deus! (Comentar o tempo representado pela eternidade).

Igualmente, na terceira frase desse texto lido, (o choro pode durar uma noite), encontra-se a palavra “noite”; daí, lembro-me da noite que Paulo falou em Rm. 13:12, quando se referiu ao tempo entre o pecado de Adão e o perdão de Cristo! (Comentar o tempo de aproximadamente 3.900 anos).

E por fim, chegamos a última frase dessa escritura, (mas a alegria vem pela manhã), então, vemos a palavra “manhã”; e passamos a pensar no dia do qual Jesus falou em Jo. 9:4, ao se referir ao tempo de anunciação do evangelho! (Desde o batismo de Jesus no Jordão, até o momento do arrebatamento da igreja; já vamos com quase 2.000 anos).

Porém, observando bem o versículo, entre as quatro frases desse texto, ainda se encontra um ponto e vírgula, um ponto, uma vírgula e outro ponto!

E como a bíblia diz que toda escritura divinamente inspirada, é proveitosa... II Tm. 3:16;

E também que nem um jota ou um til se omitirá das escrituras sem se cumprir... Mt. 5:18;

Então, pedi a Deus que me revelasse o que Ele queria dizer a igreja através apenas dessa simples vírgula, que aqui separa o tempo noite, do tempo dia.

E ele me disse: noite é tempo de provas e dificuldades; por isso, tempo de choro!

E dia é tempo conquistas e de facilidades; por isso, tempo de alegria!

Porém a nossa noite só perdura até Deus colocar uma vírgula!

1)   A noite de Jacó: (20 anos; de quando fugiu casa, até encontrar o anjo no vale).

2)   A noite de José no Egito: (13 anos; do dia em que foi jogado na cova, até o dia em que interpretou o sonho do Faraó).

3)   A noite de Israel no Egito: (430 anos; do dia da morte de José no Egito, até a noite da morte dos primogênitos dos egípcios, e o sangue nas portas).

4)   A noite de Moisés: (40 anos; da fuga do Egito, até a sarça pegando fogo no monte Horebe).

5)   A noite de Jesus: (aproximadamente 90 horas; do Getsêmane, a ressurreição).

6)   A noite da igreja; coletivamente: (aproximadamente 2.000 anos; da ascensão de Jesus, ao arrebatamento).

 

Conclusão:

Receba essa palavra de esperança: pois Deus, a qualquer momento, vai colocar uma vírgula na tua história!

Quem sabe, Ele coloca hoje, um vírgula na tua:

Vergonha, escravidão, humilhação, aflição, angústia, dor, etc. (oração).

27 – Tema: O poço, a fonte e o rio.

 

Texto base: Salmos 46:4, 5.

 

Introdução: Água é: vida, força, poder, palavra!

1)   - O poço: água particular… S. João 4:12. (Só pensa em si mesmo).

2)   - A fonte: água que sobra… S. João 4:14. (Ora e contribui).

3)   - O rio: água para todos… S. João 7:38. (Esse vai).

“Conclusão”

Água casa: (alegria Pessoal)

Água cidade: (poder para servir)

Água nação: (capacidade para evangelizar, libertar, transformar, convencer, etc.).

 

 

28 – Tema: Os três olhares da santa ceia.

Texto base: I Cr. 11:25-29.

Introdução: O olhar: retrospectivo, introspectivo, perspectivo; (passado, presente e futuro); o dia da santa ceia é um dia de festa...

1) Em memória de mim... (no passado Ele nos justificou).

O Cristo do calvário... Sofreu...

O Cristo de Jerusalém... Amou...

O Cristo morto em nosso lugar... Assumiu nossas culpas...

2) Examine, pois o homem a si mesmo... (no presente ele nos perdoa).

O Cristo presente na igreja... Está vendo...

O Cristo assentado no trono... Está intercedendo...

O Cristo ressuscitado, vivo, atuante, e real... Está nos suportando...

3) Até que venha... (no futuro ele nos coroará).

O Cristo da Santa e Eterna Cidade... Estaremos para sempre com Ele...

O Cristo do arrebatamento... Cumprirá sua fiel promessa...

O Cristo Rei dos Reis, e Senhor dos Senhores... Governaremos com Ele...

“Conclusão”

Ele morreu, mas vive para sempre, e verdadeiramente voltará...!

29 – Tema: Dos pedregais ao céu

 

Texto base: Gen. 28:10 - 19; Gn. 31:13.

 

Introdução: Não se engane com as aparências, pois nem sempre as coisas são o que parecem, quem diria que em meio a tantas pedras, Deus estaria lá!

Portanto, simplesmente adore, mesmo em meio às lutas, para que a promessa do Senhor te alcance, e mesmo em meio às pedras, Deus estará contigo!

 

1)   Não era aquele o lugar de destino; ou o lugar desejado; (ele estava a caminho de Harã - v. 10).

 

2)   Entre as pedras na noite; (ele conseguia dormir em paz - v. 11).

 

3)   Sonhando entre as pedras; (mesmo na noite, e entre as pedras, mas ele conseguia sonhar - v. 12).

 

4)   A escada; (da terra ao céu; os anjos subiam e desciam; e não desciam e subiam; indicando o texto sagrado, que os anjos estavam com ele - v. 12).

 

5)   A promessa na noite; (será dono da terra da prova - v. 13 - 15).

 

6)   E Deus estava no lugar; (e ele não sabia - v. 16).

 

7)   De manhã aquela pedra se tornou uma coluna ungida; (essas pedras serão uteis no futuro - v. 18).

 

8)   Mude o nome do lugar; (de lugar da prova, para lugar da bênção - v. 19).

 

9)   Quando você alcançar a bênção; (não esqueça de ser fiel a Deus, e cumprir seus votos - v. 20 - 22).

Conclusão:

A aceitação Divina: 31:13

Deus te fará sair da prova, Deus mudará a tua sorte!

 

 

 

 

30 – Tema: Como negar a existência de Deus?!

 

Texto base: Salmos 19:1.

Introdução: Há quem queira negar a existência de Deus; mas na hora da necessidade e do desespero toda alma recorre a Ele!

1) alguns dizem:

  • Deus é uma energia positiva...        ...mas, que energia positiva é esta? Que...
  • Deus é uma força energética...       ...mas, que força energética é esta? Que...
  • Deus é o homem...                           ...mas, que tipo de deus é este? Que...
  • Deus é uma filosofia...                     ...mas, que filosofia é esta? Que...
  • Somente o mais louco de todos os homens, se atreveria a negar a existência de Deus!

2) Como negar a existência de Deus!

  • Se você não paga para respirar, para dormir, para acordar e para que o coração continue batendo...
  • Quando Ele te dá o sol, a chuva, a noite, o dia e o oxigênio...
  • Se quando estás desemparado Ele te ampara, se quando és rejeitado Ele te aceita e quando te desvalorizam Ele te dar valor...

“Conclusão”

  • Como negarás a existência de Deus...!?
  • Se em tua alma existe um vazio deixado por Ele próprio, que em vão buscas preencher com outras coisas, quando o referido vazio, só pode ser preenchido pela presença do Todo Poderoso?!
  • Quando os sentimentos que envolvem tua alma agora são de arrependimento e de vergonha, por não tê-lo servido, como único Deus verdadeiro, durante a tua vida até agora?!
  • Será que a ingratidão do teu coração prevalecerá ainda?
  • Ou reconhecerás agora que existe um Deus; e te curvarás diante dele, para adorá-lo com sinceridade de coração?!

 

 

31 - Tema: Os 7 livros que estão diante do trono

 

Texto base: Apocalipse 20:12.

 

Introdução: Tudo quanto se relaciona com o homem aqui na terra está escrito e relacionado em um memorial diante de Deus; O Eterno Juiz de todos os homens!

  • O livro das memórias... Ex. 17:14
  • O livro do concerto... Ex. 24:17
  • O livro das maldições... Nm. 5:23
  • O livro das guerras do Senhor... Nm. 21:14
  • O livro das palavras... Jó 19:23
  • O livro das lágrimas... Sl. 56:8
  • O livro da vida... Ap. 21:27

“Conclusão”

É necessário andar em vigilância, prudência, e cuidados na vida!

Pois que o juízo final é um fato; e não, mera filosofia!

Apocalipse 22:14. Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no Sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.

 

 

 

32 – Tema: Os 5 sinais de um verdadeiro avivamento!

 

Texto base: Hab. 3:2.

 

Introdução: O verdadeiro avivamento não se importa, na verdade, se exporta! Ou seja, o verdadeiro avivamento não vem de fora para dentro, na verdade, ele aparece de dentro para fora!

  • 1) É quando a palavra de Deus é pregada, e é aceita de tal modo, que os que creem separam-se do mundo, sentem nojo do pecado, e passam a aspirar profundamente por santificação e comunhão com Deus, e pela sua gloriosa presença...
  • 2) São as operações extraordinárias do Espírito Santo, batizando e revestindo multidões, e manifestando-se no meio do povo através dos dons espirituais...
  • 3) São milagres, prodígios, e sinais maravilhosos, acontecendo a cada culto...
  • 4) São crentes prostrados chorando, não lamentando suas desventuras, mas agonizando de amor pelas almas ao sentir a urgente necessidade de arrebata-las do inferno...
  • 5) E conversões em massa; e pecadores dissolvendo-se em lágrimas, prostrados ao pé do altar, clamando pelo perdão de deus...
  • “Conclusão”
  • Isto sim são sinais de verdadeiro avivamento! Pois como bem se diz: “avivamento não é barulho ou correria; mas sim, fatos extraordinários e atitudes que dignificam o Evangelho do Senhor Jesus Cristo”!

 

 

 

33 – Tema: Duas coisas impossíveis conquistadas no calvário!

 

Texto base: S. Jo. 19:30

Introdução: No calvário Jesus Cristo, nosso Eterno Salvador, realizou duas grandes conquistas, as quais eram impossíveis que o homem conquistasse com todos os seus esforços!

1)   Pelo calvário, Cristo nos conquistou o céu!

Ef. 2:8,9

Rm. 5:1

Rm. 8:33,34

2) Pelo calvário, Cristo nos conquistou o Espírito Santo!

S. Jo. 14:16,17

S. Jo. 7:38,39

Lc. 24:49

 

‘Conclusão’

  • Estas duas conquistas são a maior esperança da igreja e o poder pleno que nos garante vitória!
  • S. Jo. 14:3; Ap. 22:14; At. 2:38; At. 1:8; Ef. 4:30.

 

 

 

34 - Tema: Abençoados pela graça

 

 

Texto base: Sl. 45:2.

 

Introdução: De quem se trata? de Jesus; a Divina manifestação e revelação da graça: S. João 1:29.

 

1)   O que é a Graça? Romanos 5:8; mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

 

2)   O que é ser salvo? Efésios 2:8,9; porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie.

 

S. João 5:24; na verdade vos digo, que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para vida.

 

S. João 8:51; em verdade vos digo, que se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte.

 

S. João 6:40; porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: que todo aquele que crê no Filho tenha a Vida Eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.

 

S. João 10:10; o ladrão não vem se não para roubar, matar e a destruir, mas eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.

 

3)   Recebendo a bênção pela graça através de Cristo.

Antes de chegar ao céu, Jesus dá uma vida abençoada aqui na terra.

 

2 Coríntios 5:17; se alguém está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas já passaram, tudo se fez novo.

 

Efésios 1:3; bendito Deus e pai de nosso Senhor Jesus Cristo o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo Jesus Nosso Senhor.

 

Gálatas 4:7; assim que já não és mais servo, mais filho; e se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo Jesus.

 

Lucas 15:31; filho, Tu sempre estas comigo, e todas as minhas coisas são tuas.

 

Filipenses 4:19; o meu Deus, segundo as suas riquezas, suprira todas as vossas necessidades, em glória por Cristo Jesus.

 

“Conclusão”

 

Jesus mandou: S. Marcos 16:15.

 

Fazer o que? Mateus 10:7,8.

 

Quem obedeceu? (Pedro e João) Atos 3:6.

 

Eu vim fazer isto também! Romanos 15:29. E bem sei que indo ter convosco, chegarei com a plenitude da benção do Evangelho de Cristo.

 

Hoje você vai sair daqui abençoado, por que eu vim a esta cidade como sacerdote de Jesus Cristo, com ordem de Deus, para abençoar, venha receber de graça, e pela graça, a Salvação da sua alma, e a bênção de Deus para sua vida, para sua casa, e para toda sua família, venha e traga seus familiares, venha ser abençoado pela graça; amém!

 

 

 

 

35 – Tema: Pecadores dependentes de um Deus que ama!

 

Texto base: Rom. 5:8.

Introdução: o mundo vive mergulhado no lamaçal do pecado e da escravidão dos vícios!

E sabendo Deus, que era simplesmente impossível ao homem, através de seus esforços, conquistar sua liberdade, e passar a viver outra vez em seu estado de santidade anterior; decidiu amá-los; e provou seu amor por eles, mandando seu Filho Jesus para morrer no lugar de uma humanidade condenada!

Pecadores: porque todos pecaram... Rom. 3:23.

  • Uns praticam isso...
  • Outros fazem aquilo...

Dependentes: porque todo aquele que comete pecado é servo do pecado... S. Jo. 8:34b.

  • Uns se arrependem, mas são escravos...
  • E outros estão em tamanhas trevas, que nem podem enxergar seus erros...

De um Deus que ama: porque Deus prova o seu amor para conosco... Rom. 5:8.

  • Ele te tem suportado tanto tempo...
  • E te proporciona oportunamente o perdão...
  • “Conclusão”
  • Aceite agora o perdão de Deus; rende-te a Ele; entrega-te a Deus para que sobrevivas; no meio de um mundo iníquo, corrompido, e perverso em que vivemos, sobre o qual, a ira de Deus em breve se manifestará; trazendo juízo sobre os filhos da desobediência, e fazendo justiça aos humilhados fiéis e sinceros filhos de Deus.

 

 

 

36 –Tema: Chamada para o exercício dos Dons, e para ministérios específicos

 

Texto base: Mar. 3:13

Introdução: A capacitação divina, e as ações extraordinárias do Espírito Santo!

  • Há diversidade de ministérios... 1 Cr. 12:5.
  • Separação para ministérios... 1 Tm. 1:18; 4:14; 2 Tm. 1:6
  • Ministério da Palavra e do Ensino... At. 6:4; Ef. 4:11-13.

1)   Através do dom da palavra.

a)   Mensagens reveladas (1 Cr. 14:6). (Mensagem recebida com antecipação, não textual; embora contextual).

b)   Mensagens da ciência (1 Cr. 14:6). (Mensagem textual; e contemporânea)

c)   Mensagens proféticas (1 Cr. 14:6). (Se diz o que se recebe na hora; a mensagem do momento).

d)   Mensagens doutrinárias (1 Cr. 14:6). (Ensino exegético; interpretação e razão do texto).

e)   Mensagens Evangelísticas (Rm. 10:8-17). (Salvação e milagres; boas notícias).

2)   Através De Ministérios.

f)    Ministério Do Louvor E Adoração... 1 Cr. 6:32.

g)   Ministério Da Reconciliação; (Ou Aconselhamento) ... 2 Cr. 5:18.

h)   Missões Evangelísticas... Lc. 10:3-9.

i)     Missões Sociais Diversas... At. 6:1-3.

j)     Missões Financeiras... Lc. 8:1-3.

3)   Outras missões específicas...

Deus não segue metodologia nem tão pouco, tradição... 1Cr.12:6,11.

O Espírito Santo age de modos diferentes porém com o mesmo objetivo... 1 Cr. 14:26.

Imagino que não seja tão importante assim o método; mas, o milagre!

Exemplos: Mt. 8:1-3; Mr. 7:32-35; 8:22-26; Lc. 6:1-11; S. Jo. 9:6,7,14,16; 5:5-11.

“Conclusão”

Façamos uma oração por aqueles que dizem: eis-me aqui; envia-me a mim...

 

 

37 – Tema: Renovando-se em pentecostes!

 

Texto base: Lam. 5:21.

Introdução: A razão do tema, o que é renovação, senão, tomar algo que já foi novo, e deteriorou-se, e torna-lo novo outra vez?

  • 1) O crescimento explosivo da igreja primitiva.
  • At. 1:2,13 = (onze apóstolos);
  • At.1:15 = (quase 120);
  • At.2:41 = (quase 3.000);
  • At.4:4 = (quase 5.000);
  • At.8:6,12,14 = (multidões e cidades em peso);
  • Com 40 Anos a igreja já contava com meio-milhão de fiéis.
  • E com 60 anos todo o mundo de então já tinha ouvido o evangelho; Cl. 1:5,6,23; Rm. 10:18.
  • 2) Aqui está uma síntese dos atos de uma igreja em verdadeiro avivamento!
  • Milagres, manifestações extraordinárias do Espírito Santo, e conversões em massa e etc.

“Conclusão”

  • Oremos por uma verdadeira renovação espiritual!

 

 

38- Tema: as armas da nossa guerra.

 

Texto base: 2 Cor. 10:4.

Introdução:

A igreja está na terra em meio a perigos ferrenhos, porém, o sábio autor da salvação, o Senhor Jesus Cristo, teve o cuidado de deixa-la bem armada, até que Ele volte.

1)    A Palavra

2)    A oração

3)    A fé

4)    O Espírito Santo

5)    Os Dons Espirituais

6)    O jejum

7)    O nome de Jesus

8)    A humildade

9)    A lágrima

10)          O grito de adoração

“Conclusão”

Vamos fazer uso das nossas armas nessa guerra!

Usemos agora pelo menos quatro de uma só vez! (Oração com lágrimas, fé e adoração).

 

 

39- Tema: as quatro definições da fé.

 

Texto base: Heb. 11: 1; Heb. 11: 6.

Introdução:

Os segredos da fé, revelados na Bíblia Sagrada, estão a disposição de todo crente; porém, muitas vezes, o povo de Deus desconhece o seu próprio poder!

 

  1. A fé como um fruto: Fé para salvação; (a fé crescente, fé que vem pelo ouvir... Rom. 10:17).
  2. A fé como Dom: Uma manifestação de fé; (a fé do momento, fé que realiza milagres... Atos 6:3).
  3. A fé como uma decisão: Ações benéficas, totalmente fora do senso comum; (a fé pelas obras, a fé que traz a existência as coisas que não existem... Tig. 2:17).
  4. A fé como um Espírito: Fé permanente, (a fé que qualifica, fé que testemunha sob qualquer circunstância... 2 Cor. 4:13).

 

“Conclusão”

O fruto é para Salvação própria...

O Dom é para abençoar os outros...

A decisão é para receber as bênçãos do Senhor...

E o Espírito é para suportar as provações...

 

 

40- Tema: Os 4 fundamentos do evangelho.

 

Texto base: S. Marcos 16:15 e 16.


Introdução:
O que significa a palavra evangelho? (Boas novas; boas notícias).

Jesus disse: ide por todo o mundo... (o livro arbítrio; crê, ou não crê).

1) O evangelho é salvação.
2) O evangelho é cura divina.
3) O evangelho é batismo com Espírito Santo.
4) o evangelho é arrebatamento.

"Conclusão"

O evangelho é a revelação da Graça de Deus, do amor de Deus revelado ao mundo...
Um testemunho pessoal, e apelo...

 

 

41- Tema: Jesus o restaurador de vidas.

Texto base: Isaías 61:1.

Introdução: As 2 profissões de Deus; (criador, e restaurador).

Gêneses 1:1. No princípio criou Deus os céus e a terra.

 

A visão profética de Ezequiel 37:1-10.

1)    A restauração de José do Egito de 13 anos.

2)    A restauração de Moisés depois de 40 anos.

3)    A restauração de Nabucodonosor depois de 7 anos.

4)    A restauração de Jó depois de 10 anos.

5)    A restauração da prostituta em questão de horas.

6)    A restauração do ladrão da cruz em questão de momentos.

7)    A restauração de... (seu próprio testemunho pessoal).

“Conclusão”

É tempo de restauração, Deus quer restaurar hoje:

A saúde, as finanças, as famílias, a vida moral, a vida espiritual, a vida conjugal, a comunhão, as alegrias, a esperança, a fé, a paz e os sonhos de alguém!

42 - tema: as 3 fases da vida que testam a estrutura do crente.

 

Texto básico: S. Mateus 7:24-27.

Introdução: Areia é pedacinhos de pedra; (a pedra é Cristo).

Interpretação: Gênesis 22:17; Gênesis 13:16.

1)    O praticante constrói na pedra (seguindo o exemplo de Cristo)

2)    O apenas ouvinte constrói na área (seguindo o exemplo dos crentes).

3)    Chuvas: bênçãos, coisas boas, bons tempos, prosperidade.

4)    Rios: vida, coisas passageiras, abundância, excesso, sobeja.

5)    Ventos: provas, lutas, tribulações, coisas desequilibradoras.

6)    Combate: teste, avaliação, exame.

“Conclusão”

Olhe para Jesus, e não para as pessoas...

 

 

43- Tema: o perfil ético do líder Cristão

 

Texto base: 1 Cor. 4:1 e 2.

Introdução: Seis palavras; e seus respectivos sentidos e aplicações...

 

1)   Consideração: Como o povo descrente lhe considera? (“isso fala do testemunho de vida de cada um”).

2)   Ministro: Sua Autoridade Espiritual! (“isso fala da postura, que leva ao respeito pessoal”).

3)   Despenseiro: Você como inspirador de esperança! (“isso fala da capacidade e da certeza de quem tem pra dar”).

4)   Mistérios: Os mistérios revelados a você! (“isso fala da exposição do saber Espiritual, e dos tesouros de Cristo”).

5)   Requer-se: A exigência alheia a seu respeito! (“isso fala do sacrifício pessoal para manter a postura e o comportamento integro”).

6)   Fiel: A revelação do seu caráter! (“isso fala das qualidades e da capacidades de resistência de cada um”).

“Conclusão”

Tu, porém, vai até o fim... Sê fiel até a morte... Só são aceitos os aprovados...

44 - Tema: De volta pra casa.

 

Texto base: S. João 14:18.

Introdução: A expectativa do mundo...

 1) Nossa origem; (vindos de Deus).

2) O propósito de nossa existência (sentenciar o inimigo e seus anjos).

3) Nossa missão (evangelizar o mundo).

4) Nossa recompensa (galardão).

5) Nosso destino (o céu).

“Conclusão”

Ele voltará... Apelo...

 

 

45 - Tema: Os 5 poderes do Evangelho.

 

Texto base: S. Mar. 16:17 e 18; Rom. 1:16.

 

Introdução: O Maravilhoso evangelho do Senhor Jesus Cristo, não é mera filosofia; como alguns pensam; mas sim, é a mais pura demonstração espiritual, da manifestação do poder de Deus!

1)  Poder sobre o inimigo (expulsarão domínio).

2)  Poder sobre o conhecimento humano (falarão novas línguas – profundo gozo interior).

3)  Poder sobre qualquer tipo de maldição (imunes e abençoados).

4)  Poder sobre a morte (Vida Eterna).

5)  Poder sobre as enfermidades (saúde e capacidade de curar).

“Conclusão”

Oremos por cura divina; e adoremos, gratos pelos milagres que Jesus faz!

46 - Tema: As 7 dispensações; e o estado eterno!

 

Texto base: Efésios 3:2.

 

Introdução: De eternidade a eternidade o Senhor é Deus e domina sobre todas as coisas! E, portanto, para o homem, ele estabeleceu dispensações que demarcam sua história e existência!

1) Dispensação da inocência: da formação do homem á sua queda.

2) Dispensação da consciência: da queda do homem ao dilúvio.

3) Dispensação do governo humano: do dilúvio á torre de babel.

4) Dispensação patriarcal: da torre de babel á saída do Egito. 

5) Dispensação da lei: da saída do Egito até Jesus.

6) Dispensação da graça: de Jesus ao arrebatamento.

7) Dispensação milenar: do arrebatamento ao juízo final.

8) O estado eterno: do juízo final para sempre.

“Conclusão”

Maranata; ora vem Senhor Jesus!

 

 

47- Tema: Renova-nos.

 

Texto base: Lamentações 5:21.

 

Introdução: Qual o verdadeiro conceito de Renovação?

Deus quer renovar nas nossas vidas...

 

  1.  A esperança de vitória...
  2. A fé para milagres...
  3.  As promessas... (a promessa de Deus não te deixará).
  4.  O ministério da adoração...

“Conclusão”

Portanto, uma vez renovados, esperemos crendo nas promessas de Deus, e adoremos a Ele com genuinidade!

Pois, Deus levanta hoje uma geração de verdadeiros adoradores, fervorosamente renovados, para sua glória!

Levante-se, pois, abra bem a sua boca, e dê um renovado brado de Glória a Deus!

 

 

48 - Tema: O segredo das mãos.

 

Texto base: Êxodo 17:8 - 13.

Introdução: Há um mistério nas mãos dos crentes! Vamos conhecer pelo menos sete poderes que se manifestam em nossas mãos.

1) Mãos que abençoam: Gênesis 48:14 e 20 

2) Mãos que curam: Marcos 16:18

3) Mãos que transmitem dons: I Timóteo 4:14

4) Mãos que fazem prosperar: Gênesis 39:3

5) Mãos que transmitem a paz: I Timóteo 2:8

6) Mãos que transmitem o batismo com Espírito Santo: Atos 8:17

7) Mãos que transmitem vitórias: Êxodo 17:8-13

“Conclusão”

I Samuel 10:7. E há de ser que, quando estes sinais te vierem, faze o que achar a tua mão, porque Deus é contigo.

 

 

 

 

 

49 - Tema: Os 4 ventos de Deus.

 

Texto base: Ezequiel 37:9; S. Marcos 4:41.

Introdução: Deus está no comando dos ventos... conforme está escrito no livro dos Salmos de número 148 e verso 7 e 8. “Louvai ao Senhor desde a terra: vós, baleias, e todos os abismos; fogo e saraiva, neve e vapores, vento tempestuoso que executa a sua palavra.”

Portanto, os ventos, são ações do Espírito de Deus...

 1)  Vento da provação: S. Mateus 7:25

2)  Vento da correção: Jonas 1:4

3)  Vento da intervenção: Êxodo 14:21

4)  Vento da provisão: Números 11:31

“Conclusão”

Os ventos são ações comandadas pelo Espírito de Deus; no soprar dos ventos, Deus está trabalhando para nos abençoar!

Isaías 64:4. Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.

 

 

 

50 - Tema: Exemplos de um obreiro jovem.

 

Texto base: Gênesis 28:1.

 Introdução: Era um obreiro jovem, mas era um obreiro exemplar.

1) Abençoado: v. 1.

2) Obediente: v. 10.

3) Provado: v. 11.

4) Tinha Cristo na cabeça; (ou, a cabeça na rocha): v. 11b.

5) Sonhador; (visão): v. 12.

6) Herdeiro: v. 13.

7) Tinha promessa: v. 19.

8)  Deus era com ele: v. 15.

9)  Estava na casa de Deus e na porta dos céus: v. 17.

10) Levantava de madrugada: v. 18ª.

11) Tinha azeite: v. 18b.

12) Tinha autoridade de Deus; (mudou o nome do lugar; e a mudança foi aceita por Deus): v. 19; cap. 31:13.

“Conclusão”

Exemplo: (malandro também fica velho).

 

 

left show tsN fwR b15s bsd|left fwR tsY|left show fwR tsY|bnull|||news login uppercase b01 bsd fwR tsN|uppercase b01 bsd fwR fsN tsY c10 sbww|b01 c05 bsd|login news fwR uppercase b01 bsd|b01 bsd fsN uppercase sbww c05 tsN fwB|fwR uppercase b01 bsd|content-inner||